LeBron James é o novo jogador do Los Angeles Lakers. Foto: NBA.com
LeBron James é o novo jogador do Los Angeles Lakers. Foto: NBA.com

Acabou o mistério e muito mais rápido do que o imaginado. Mas com o destino mais provável confirmado. LeBron James será jogador do Los Angeles Lakers, em contrato de quatro anos e US$ 154 milhões. A informação foi divulgada pela Klutch Sports, empresa que o agencia, e repercutida na imprensa norte-americana. Para o quarto ano de contrato, há uma player option, que permite ao atleta decidir se renova automaticamente ou testa o mercado.

O destino de King James, naturalmente, era o mais aguardado dessa NBA Free Agency. Ele está desde sábado em Los Angeles e seus representantes se reuniram com o Lakers e com o Philadelphia 76ers. O próprio James falou com o Cleveland Cavaliers ao telefone no primeiro minuto do mercado aberto. Não houve necessidade de ajustes financeiros, já que a franquia angelina tinha espaço suficiente na folha salarial para assinar o contrato. Espera-se agora uma investida fortíssima sobre Kawhi Leonard, ala do San Antonio Spurs, que já manifestou seu interesse de vestir amarelo e roxo.

LeBron James abriu mão de muito dinheiro garantido para sair do Cleveland Cavaliers. A franquia tinha seus “Bird Rights”, uma regra que permitia oferecer-lhe US$ 207 milhões por cinco anos. O camisa 23 disputou, em 2018, sua oitava final de NBA consecutiva. Levou um conturbado time do Cleveland Cavaliers à quarta decisão seguida, após jogar todos os 82 jogos da temporada regular pela primeira vez em sua carreira, aos 33 anos.

O que significa para LeBron James jogar no Los Angeles Lakers?

Um superastro como LeBron James poderia assinar com quem quisesse. Não à toa, inúmeras sonharam com sua contratação. Los Angeles, na Califórnia, é um dos pontos mais badalados do mundo. Naturalmente, ele seria o centro das atenções, a maior estrela do esporte local. Atrairia milhões, quiçá bilhões de dólares em merchandising, turismo e outros tantos negócios.

Mais do que isso, LeBron James está se juntando a um time jovem, sem nenhuma referência dentro de quadra. Trará aos jovens Lonzo Ball, Brandon Ingram e Kyle Kuzma – ou aqueles que não forem envolvidos em uma provável troca por Kawhi Leonard – a presença e admiração que ainda falta pelos lados californianos. É a chance de o Los Angeles Lakers buscar o posto de maior campeão da NBA. Um ativo perfeito para alavancar as chances de atingir esse objetivo, já que o Boston Celtics chega cada vez mais forte.

Agora, respiremos. Um pouco de racionalidade. LeBron James tem 34 anos e, a não ser que descubram que ele, de fato, é um robô, um ciborgue, ou algo do gênero, seu ritmo e condição física vão decair. É natural, por mais que muitos atletas tentem lutar contra isso. O Lakers tem a vitalidade que pode lhe ser um combustível extra que faltava no elenco do Cavs. Mas a Conferência Oeste não é para amadores.

Se quiserem ameaçar o Houston Rockets e, principalmente, o Golden State Warriors, o diretor de basquete, Magic Johnson, e o Gerente Geral, Rob Pelinka, terão de trazer mais peças para o tabuleiro angelino. Paul George resolveu ficar em Oklahoma City, mas ainda há espaço para Kawhi Leonard. Nomes como DeMarcus Cousins podem ser mais facilmente persuadidos agora, isso sem contar veteranos em busca de um anel de campeão.

LeBron James chega para fazer história no esporte. Mas, no Lakers, histórica equivale a títulos. Bem-vindos a um dos mais empolgantes capítulos da história da NBA.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui