Varejão fez 16 pontos na derrota para a Venezuela nas Eliminatórias. Foto: Fiba

Em novembro de 2017 teve início um novo sistema de classificação para a Copa do Mundo de basquete. Além de o torneio passar para anos ímpares, de forma a não competir com o futebol, os campeonatos regionais (Copa América, etc) deixaram de valer vaga. Entraram as Eliminatórias. Nesta segunda-feira, dia 2 de julho, às 18h (horário de Brasília), a Seleção Brasileira enfrenta a Colômbia na última rodada da fase inicial, em Medellín. O Esporte Interativo transmite ao vivo.

Até aqui, foram cinco jogos, quatro vitórias e uma derrota, na última rodada, para Venezuela. A Colômbia venceu sua primeira, diante do Chile, mas ainda está na lanterna e “joga a vida” em casa para passar de fase. Será uma verdadeira decisão. O Brasil já está classificado e não perde a segunda posição, mas precisa vencer porque carrega os pontos dessa fase para a próxima. A Colômbia precisa vencer e secar o Chile, de mesma campanha, porém com vantagem no confronto direto, e amplo azarão diante da Venezuela.

Como será a próxima fase das Eliminatórias?

Classificam-se ao Grupo F os três melhores do Grupo B e os três do Grupo D. Neste momento, cinco seleções já estão garantidas. Se os favoritos vencerem na última rodada, a ordem seria essa: Canadá (5v1d); Venezuela (5v1d); Brasil (5v1d); República Dominicana (5v1d); Ilhas Virgens (2v4d) e Chile (1v5d). A única chance de o Brasil terminar com a liderança do Grupo B é vencer a Colômbia e a Venezuela perder para o Chile, assim a campanha brasileira seria 5v1d e a venezuelana de 4v2d. No Grupo E, jogarão Estados Unidos; Porto Rico; México; Uruguai, Argentina e Panamá. A ordem será definida somente nesta segunda-feira.

Os primeiros jogos serão disputados entre os dias 13 e 17 de setembro. A princípio, ainda será possível convocar jogadores da NBA. Os times da liga norte-americana estarão em training camp, mas não deve ser um empecilho para todas as convocações. Isso pode ser um alívio ou uma dificuldade extra para o Brasil, que ainda não conseguiu contar com nenhum representante da NBA em cinco partidas. Se trouxer nomes como Nenê, Raulzinho e Augusto Lima (vai jogar a Summer League), terá muito mais força. Com a atual convocação, diante por exemplo do Canadá, as chances serão mínimas.

Até o fim da classificação, serão, ainda, mais duas janelas além dessas: no fim de novembro/início de dezembro, e em fevereiro de 2019. Garantem vaga na Copa do Mundo da China os três melhores de cada grupo e o melhor quarto colocado entre as duas chaves. Vencer os três compromissos em casa é de suma importância.

Antes disso, vamos pensar em Brasil x Colômbia?

Hanner Mosquera (22) e Hansel Atencia (10) são os grandes nomes da Colômbia e não jogaram contra o Brasil em Goiânia. Foto: Fiba
Hanner Mosquera (22) e Hansel Atencia (10) são os grandes nomes da Colômbia e não jogaram contra o Brasil. Foto: Fiba

A Seleção Brasileira é ampla favorita. No primeiro turno, em fevereiro, diante da Arena Goiânia lotada, vitória por 84 a 49. Porém, o resultado foi construído no segundo tempo, depois de perder o primeiro quarto por 24 a 21 e ir para o intervalo vencendo por apenas 33 a 30. Naquele dia, o talento individual de Leandrinho e, principalmente, Anderson Varejão, se sobressaíram. Porém, o jogo de cinco-contra-cinco foi muito falho, e somente quando os contra-ataques encaixaram o time deslanchou.

Os colombianos jogaram com seis desfalques em relação ao grupo atual, sem dois de seus principais jogadores. O armador Hansel Atencia e o ala-pivô Hanner Mosquera, que jogam no basquete universitário norte-americano. Na vitória por 71 a 67, fora de casa, sobre o Chile, Mosquera anotou um duplo-duplo de 13 pontos. Atencia foi o cestinha, com 21 pontos, além de quatro rebotes e três assistências.

Não estão nesse elenco o experiente pivô Juan Tello, que atua na Lituânia, e o ala Braian Angola, que vai jogar a Summer League da NBA pelo Orlando Magic. Isso enfraquece consideravelmente a seleção colombiana. Perder seria, realmente, uma tragédia para o Brasil. Porém, depois da péssima atuação contra a Venezuela, é bom redobrar a atenção.

Partida entre Brasil x Colômbia no Estádio Ivan de Bedout em Medellin, pela fase de grupo da FIBA AmeriCup 2017. Em 25 de Agosto de 2017. Foto Wagner Meier / Basquete360.com
Partida entre Brasil x Colômbia no Estádio Ivan de Bedout em Medellin, pela FIBA AmeriCup 2017. Foto: Basquete360.com

Na Fiba AmeriCup 2017, sediada em Medellín, o Brasil venceu a Colômbia em jogo dramático, por 76 a 74. O jogo foi no mesmo Coliseo Ivan Bedout, em Medellín, um verdadeiro caldeirão, com muita pressão da torcida. Léo Meindl foi o cestinha na ocasião e chega ao jogo desta segunda-feira como o melhor da seleção contra a Venezuela. Novamente: o favoritismo é gigante, mas é preciso redobrar a atenção. Se vencer, a próxima fase começa apenas equilibrada, com a mesma pontuação para todos os favoritos. Se perder, a ladeira a subir rumo ao Mundial de 2019 será enorme e muito, muito íngreme.

Eliminatórias das Américas: os jogos da última rodada

* Horários de Brasília

Domingo, 1º de julho

17h00 – Grupo C: Cuba (0v5d) vs EUA (4v1d)

20h00 – Grupo A: Uruguai (4v1d) vs Argentina (4v1d)

20h00 – Grupo C: Porto Rico (3v2d) vs México (3v2d)

22h15 – Grupo A: Paraguai (0v5d) vs Panamá (2v3d)

Segunda, 2 de julho

14h30 – Grupo D: Canadá (4v1d) x Ilhas Virgens (2v3d)

18h00 – Grupo B: Colômbia (1v4d) x Brasil (4v1d)

21h00 – Grupo D: República Dominicana (4v1d) x Bahamas (0v5d)

21h30 – Grupo B: Chile (1v4d) x Venezuela (4v1d)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui