Conteúdo de divulgação da Fiba Europa para as Eliminatórias da Copa do Mundo China 2019

Entre os dias 28 de junho e 2 de julho, será disputada a última janela de jogos da primeira fase das Eliminatórias para a Copa do Mundo China 2019, na Europa. Espanha, Ucrânia Lituânia, Itália, França, Alemanha, Sérvia e Grécia já estão classificadas. Outras 24 seleções ainda brigam por 16 vagas.

Fórmula de disputa

Na primeira fase da disputa da Europa, as seleções foram divididas em oito grupos de quatro equipes cada. Elas se enfrentam em turno e returno dentro dos grupos, com seis partidas para cada. Os três melhores avançam para a segunda fase, quando quatro novos grupos com seis equipes são formados. As três equipes classificadas no Grupo A, se juntam as classificadas do Grupo B. As melhores equipes do Grupo C, farão a segunda chave com as três que passaram no Grupo D. As três campanhas de maior destaque no Grupo E estarão juntas aos melhores do Grupo F e por fim, Grupo G cruza com o Grupo H. É importante destacar que as equipes carregam os resultados do estágio inicial e não enfrentam novamente os rivais anteriores. Os três melhores dos Grupos da segunda fase vão à China, assim como o melhor quarto colocado por índice técnico, totalizando as 12 vagas.

A classificação das eliminatórias

Grupo A:

Espanha – 4 vitórias e 0 derrota – 8 pontos – Classificados
Eslovênia – 2 vitórias e 2 derrotas – 6 pontos
Montenegro – 1 vitória e 3 derrotas – 5 pontos
Bielorrúsia – 1 vitória e 3 derrotas – 5 pontos

Grupo B:

Ucrânia – 3 vitórias e 1 derrota – 7 pontos – Classificados
Turquia – 2 vitórias e 2 derrotas – 6 pontos
Letônia – 2 vitórias e 2 derrotas – 6 pontos
Suécia – 1 vitória e 3 derrotas – 5 pontos

Leia também

Grupo C:

Lituânia – 4 vitórias e 0 derrotas – 8 pontos – Classificados
Polônia – 2 vitórias e 2 derrotas – 6 pontos
Hungria – 2 vitórias e 2 derrotas – 6 pontos
Kosovo – 0 vitórias e 4 derrotas – 4 pontos

Grupo D:

Itália – 4 vitórias e 0 derrotas – 8 pontos – Classificados
Romênia – 2 vitórias e 2 derrotas – 6 pontos
Holanda – 1 vitória e 3 derrotas – 5 pontos
Croácia – 1 vitória e 3 derrotas – 5 pontos

Grupo E:

França – 4 vitórias e 0 derrotas – 8 pontos – Classificados
Rússia – 2 vitórias e 2 derrotas – 6 pontos
Bósnia e Herzegovina – 2 vitórias e 2 derrotas – 6 pontos
Bélgica – 0 vitórias e 4 derrotas – 4 pontos

Grupo F:
República Tcheca – 3 vitórias e 1 derrota – 7 pontos
Islândia – 2 vitórias e 2 derrotas – 6 pontos
Finlândia – 2 vitórias e 2 derrotas – 6 pontos
Bulgária – 1 vitória e 3 derrotas – 5 pontos

Grupo G:

Alemanha – 4 vitórias e 0 derrotas – 8 pontos – Classificados
Sérvia – 3 vitórias e 1 derrota – 7 pontos – Classificados
Geórgia – 1 vitória e 3 derrotas – 5 pontos
Áustria – 0 vitórias e 4 derrotas – 4 pontos

Grupo H:

Grécia – 4 vitórias e 0 derrotas – 8 pontos – Classificados
Israel – 2 vitórias e 2 derrotas – 6 pontos
Estônia – 2 vitórias e 2 derrotas – 6 pontos
Grã-Bretanha – 0 vitórias e 4 derrotas – 4 pontos

Os jogos da última janela

28 de junho:

13h30 – Suécia x Letônia
13h40 – Israel x Grécia
14h – Turquia x Ucrânia
14h – Polônia x Lituânia
15h – Eslovênia x Espanha
15h – Holanda x Romênia
15h30 – Kosovo x Hungria
15h45 – Itália x Croácia
16h – Montenegro x Bielorrússia

29 de junho:

12h – Bulgária x Islândia
12h – Geórgia x Sérvia
13h – República Tcheca x Finlândia
14h30 – Alemanha x Áustria
15h30 – Bélgica x Rússia
15h30 – Bósnia e Herzegovina x França
15h30 – Grã-Bretanha x Estônia

1 de julho:

10h – Ucrânia x Letônia
12h – Turquia x Suécia
13h – Holanda x Itália
13h – Romênia x Croácia
13h30 – Espanha x Bielorrússia
13h30 – Eslovênia x Montenegro
15h – Hungria x Lituânia
15h30 – Kosovo x Polônia

2 de julho:

12h – Geórgia x Áustria
12h45 – Finlândia x Islândia
13h – Rússia x França
13h – República Tcheca x Bulgária
13h – Estônia x Grécia
15h – Sérvia x Alemanha
15h30 – Bélgica x Bósnia e Herzegovina
15h30 – Grã-Bretanha x Israel

*Horários de Brasilia

O que cada seleção na briga precisa para se classificar

Eslovênia: vencer Espanha ou Montenegro.
Montenegro: vencer a Bielorrússia.
Bielorrússia: vencer Montenegro  e Espanha. Em caso de derrota para os espanhóis, os bielorrussos precisam da vitória da Eslovênia contra os montenegrinos.

Turquia: vencer a Suécia.
Letônia: vencer a Suécia.
Suécia: vencer a Letônia e a Turquia. Em caso de derrota para os turcos, os suecos irão precisar de uma derrota dos letões contra a Ucrânia. Um outro detalhe dentro deste cenário, a Suécia precisaria de uma vitória por mais de nove pontos no primeiro jogo.

Polônia: vencer a Lituânia ou o Kosovo
Hungria: vencer o Kosovo.
Kosovo: vencer a Hungria por mais de oito pontos e a Polônia, além de torcer para os húngaros não vencerem a Lituânia.

Romênia: vencer Holanda ou Croácia.
Holanda: vencer a Romênia por mais de sete pontos. Caso não consigam esse objetivo a vitória contra a Itália se torna uma obrigação.
Croácia: vencer a Itália e a Romênia.

Rússia: vencer a Bélgica.
Bósnia e Herzegovina: vencer a Bélgica ou uma simples derrota da Bélgica contra a Rússia.
Bélgica: vencer a Rússia por mais de sete pontos e a Bósnia por mais de dois pontos.

República Tcheca: vencer Finlândia ou uma simples derrota da Islândia contra a Bulgária.
Islândia: vencer Bulgária ou Finlândia.
Finlândia: vencer a República Tcheca. Caso isso não aconteça, os finlandeses precisam da vitória da República Tcheca contra a Bulgária.
Bulgária: vencer a Islândia e torcer ainda por uma vitória da Finlândia contra os islandeses.

Geórgia: vencer a Áustria.
Áustria: vencer a Alemanha e a Áustria ou apenas os austríacos por mais de 14 pontos.

Israel: vencer a Grécia ou uma simples derrota da Grã-Bretanha contra a Estônia.
Estônia: vencer a Grã-Bretanha.
Grã-Bretanha: vencer a Estônia por mais de três pontos e Israel por mais de sete pontos.

Destaques Individuais até agora

Martin Hermannsson o destaque da Islândia Foto: Fiba/Divulgação

O armador islandês Martin Hermannsson, jogador do Reims da França, é o cestinha das eliminatórias até aqui com 25.5 pontos de média, nos quatros jogos em que esteve em quadra.

Emanuel Cate, o maior reboteiro das eliminatórias até aqui. Foto: Fiba/Divulgação.

O pivô romeno Emanuel Cate é o maior reboteiro das eliminatórias até aqui. O jogador que atua no Basquet Prat, equipe da segunda divisão na Espanha, tem médias de 9.8 sobras por jogo.

O armador naturado finlandês Jamar Wilson tem a melhor média de assistências nas eliminatórias. Foto: Fiba/Divulgação

Jamar Wilson, armador naturalizado finlandês, lidera as eliminatórias em número de assistências. Foram 32 em quatro jogos. O que lhe rendeu uma média de oito passes decisivos por jogo.

 

 

 

 

 

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui