Prigioni deixou o cargo após terceira derrota na Euroliga (divulgação)

A primeira experiência como treinador do ex-jogador da seleção argentina Pablo Prigioni durou apenas oito jogos. Prigioni pediu demissão do comando do Saski Baskonia, equipe da região basca da Espanha, após a derrota para o Valencia pela Euroliga. A decisão foi tomada logo após o resultado e anunciada na coletiva de imprensa, antes de ser comunicada aos diretores do clube.

“Eu tomei a decisão; Não há chance de eu ficar. Peço desculpa aos fãs, que estavam entusiasmados com esse projeto. Agradeço-lhes por pensar que eu poderia fazer bem, mas prefiro sair em breve para que o clube tenha uma margem para reagir, sendo no início da temporada. Ainda não falei com o clube, estou lhe dizendo primeiro”, afirmou o treinador, deixando os jornalistas surpresos.

Mesmo reforçado, o Baskonia iniciou a temporada de forma muito desanimadora. Na Euroliga acumula três derrotas nas três partidas que disputando, sendo a única equipe que ainda não somou 200 pontos na competição, figurando assim como o lanterninha. Na Liga ACB (campeonato nacional da Espanha) o time também não vem bem: são três derrotas e duas vitória apenas, amargando a 11º colocação.

Tentando encontrar palavras para justificar a sua repentina decisão, o ex-jogador declarou que não conseguiu colocar em prática suas ideias e fazer com que a equipe desempenhe um bom papel coletivo. Em tom muito desanimado, ele afirmou que é melhor deixar o cargo para que um outro treinador desenvolva um trabalho melhor.

“Não vou continuar treinando o time. Para dizer a verdade, sinto-me muito frustrado pelo fato de não ser capaz de satisfazer minhas próprias expectativas e, principalmente, as expectativas que o clube teve para mim. Estou me desculpando com nossos fãs, o presidente e toda a organização, porque não posso ajudar meus jogadores a jogar basquete bem, e isso é o que mais machuca. Eu me sinto muito responsável por isso e não quero prejudicar o clube ou meus jogadores. Preferia deixar o time para um treinador diferente. Estou certo de que encontrarão um técnico qualificado que possa ajudar esse grupo a sair desta situação “, disse Prigioni, claramente abatido.

Prigioni teve carreira de sucesso como jogador

Prigioni figura entre os grandes jogadores da História do Baskonia. Foram ao todo oito temporadas como atleta da equipe. Ele figura como o quinto atleta com mais assistências na Euroliga (804) e terceiro maior ladrão de bolas (322) da competição.

Pela seleção argentina ele também fez histórias, atuando por mais de dez anos com a camisa azul e branco, além de ter participado da equipe que conquistou o bronze nos Jogos Olímpicos de Pequim 2008.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui